Ver mais notícias

FAB forma 117 novos pilotos de combate em Natal (RN)


A cerimônia de encerramento do Programa de Especialização Operacional (PESOP) ocorreu no pátio de solenidades da Ala 10, em Natal (RN) na última quinta-feira (07/12). Os 117 aviadores da FAB realizaram o juramento do piloto de combate, receberam seus distintivos dos padrinhos e madrinhas e entoaram o grito de guerra.

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luíz Rossato, premiou os estagiários e instrutores que se destacaram durante o Curso de Especialização Operacional (CEO) de 2017. "Este ano foi de muita exigência, os desafios foram bem grandes e o crescimento também. Eu acredito que um salto como esse nós teremos pouca oportunidade de vivenciar novamente na carreira porque realmente a gama de experiência que adquirimos aqui no PESOP é inigualável", avaliou o Tenente Aviador Marcos Vinícius Bentes Correa, que se especializou na aviação de caça e agora tem como objetivo chegar à 1ª linha e voar a aeronave Gripen NG.

No dia anterior ao encerramento (06/12), foi realizada a diplomação dos pilotos de combate nos esquadrões de instrução. No evento, além da entrega dos certificados de conclusão dos CEO das aviações de asas rotativas, caça, transporte, patrulha e reconhecimento, também foram feitas homenagens aos estagiários e instrutores que se destacaram em cada aviação.
Em discurso, o Comandante da Ala 10, Major-Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic, voltando-se para os formandos, chamou a atenção para a importância do título de pilotos de combate da Força Aérea. "Jovens oficiais, o título que lhes é outorgado tem um valor imensurável.

Ele carrega a tradição que remonta à honrosa participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial. Passados todos esses anos, continuamos cultivando os valores daquela época: coragem, lealdade, honra, dever e dedicação à Pátria.

A esse código de honra, une-se o juramento do piloto de combate, ideias que expressam o mais profundo compromisso do aviador combatente com a manutenção da liberdade, da integridade e da soberania de nosso País, exatamente aquilo que fizeram nossos heróis", ressaltou.

O Major-Brigadeiro Farcic falou, ainda, sobre a missão que os novos combatentes terão pela frente. "Os senhores seguirão seus destinos em vários esquadrões, com a missão de defender e integrar uma área de 22 milhões de quilômetros quadrados.

Nossa Força Aérea Brasileira recebe hoje novos pilotos de asas rotativas, caça, patrulha, reconhecimento e transporte que, ainda mais vibrantes com a carreira que escolheram, compreendem a importância do cumprimento da missão, até mesmo acima da própria vida.

A Ala 10 sente-se extremamente honrada e com a sensação do dever cumprido, ao chegar ao posto final desta etapa com os 117 a bordo, todos em segurança, e por encerrar mais um ciclo de formação de tão valorosos jovens guerreiros do ar", disse o Oficial-General.

Este foi o primeiro ano de realização do programa sob a coordenação da Ala 10 e gestão do Comando de Preparo (COMPREP). Para o Major-Brigadeiro Farcic, o esforço de planejamento e acompanhamento que o PESOP já demandava foi incrementado com a reestruturação por que toda a Força Aérea está passando.

Apesar dos desafios que essas mudanças impuseram, principalmente nos campos doutrinário e de gestão, ao transformar o programa em um projeto do COMPREP, a avaliação é de que as expectativas foram alcançadas com a nova estrutura e os novos processos implantados. "Neste ano, foram quase 16 mil horas de voo, de transmissão de conhecimentos técnicos, atuando com extrema atenção e cuidado, enriquecendo o campo psicomotor de cada estagiário, de maneira individualizada e padronizada. Sob a liderança do Comando de Preparo, pudemos colher os primeiros frutos plantados por ocasião da reestruturação da FAB, sobretudo no aspecto doutrinário das diversas aviações, resultando em importantes modificações que serão implementadas já em 2018", destacou.

O PESOP tem como objetivo preparar o piloto militar, oriundo da Academia da Força Aérea (AFA), para o exercício das atividades operacionais e administrativas dos primeiros postos da carreira de aviador militar.

Ao longo de dez meses, os militares são formados nas diversas aviações, sendo capacitados a servir nos esquadrões aéreos da FAB em todo o Brasil. Ao chegarem a Natal, os Aspirantes a Oficiais realizam o Curso de Tática Aérea no Grupo de Instrução Tática e Especializada (GITE).

Em seguida, tem início o CEO da aviação de caça, realizado no Esquadrão Joker (2º/5º GAV); de asas rotativas, no Esquadrão Gavião (1º/11º GAV); e de transporte e patrulha, no Esquadrão Rumba (1º/5º GAV).

 

 

 

 

Comente

Ver mais notícias